Projeto PROMOEENER-A

O Projeto PROMOEENER-A nasce da necessidade de se promover a eficiência energética e as energias renováveis em edifícios da administração pública, facto associado geralmente ao elevado consumo de energia dos seus sistemas de aquecimento e AQS.

O projeto visa promover a utilização de soluções altamente eficientes e a implementação de sistemas de energias renováveis para aquecimento e arrefecimento nos edifícios públicos. É ainda intenção do projeto que os referidos sistemas acompanhem o desenvolvimento deste mercado de trabalho nas respetivas regiões, criando assim valor acrescentado.

As tecnologias sobre as quais o projeto incide são aquelas cujos recursos são comuns a todas as regiões envolvidas e, por outro lado, se possam encontrar em abundância, como é o caso da energia solar geotermia, biomassa, e as quais permitem a diminuição das emissões de gases de efeito de estufa provocada pela utilização de combustíveis fósseis.

É também dada especial atenção à otimização destes recursos de forma passiva, através da construção bioclimática e da redução das necessidades térmicas dos edifícios, reduzindo o seu consumo de energia de forma significativa.

Desta forma, o objetivo final do projeto é promover a implementação de sistemas bioclimáticos em edifícios públicos da Euro-Região EUROACE, permitindo que os mesmos sirvam de exemplo, incrementando simultaneamente a utilização de recursos energéticos endógenos e diminuindo a dependência energética das regiões.

 

A área de intervenção do projeto compreende a NUT Extremadura-Centro-Alentejo, juntamente com a região da Cova da Beira. Cada região tem um parceiro que se encarrega da seleção de edifícios públicos (perfazendo desta forma um total de 115 edifícios), sobre os quais será realizado um estudo energético inicial, que será o ponto de partida para ir ao encontro do objetivo central do projeto.

Posteriormente, será desenvolvido, para os 19 edifícios com maior potencial de melhoria, um plano de ação que permita quantificar as medidas de melhoria, os custos associados, os impactes positivos e ainda a obtenção dos períodos de retorno, classificando e priorizando a sua execução, a qual será realizada numa fase posterior.

Não há uma definição prévia de municípios, uma vez que se procura a heterogeneidade nos edifícios alvo de estudo: escritórios, centros de saúde, câmaras municipais, escolas, entre outros, sem priorizar núcleos rurais ou urbanos. A seleção dos municípios é feita na primeira fase do projeto, sendo que 100 se situarão na Extremadura, 5 no Alto Alentejo, 5 no Baixo Alentejo e 5 na Beira Interior Sul e Cova da Beira.

Como resultados específicos do projeto, podem enumerar-se: registo energético histórico de 115 edifícios públicos, a elaboração de um Mapa Geotérmico das regiões envolvidas, a realização de 19 auditorias energéticas em edifícios públicos e 10 intervenções nos mesmos mediante a contratação de ESEs.